Fuso é um objeto utilizado para fiar (= fazer fio) que já serve ao homem a milênios. Sua data de origem exata foi perdida, mas arqueólogos encontraram objetos semelhantes ainda na era neolítica.

Um fuso nada mais é que uma haste na qual se prende um contrapeso para dar estabilidade na hora de girar. E é nesse girar que o fio se faz a partir da fibra que a fiandeira vai soltando de suas mãos para a haste. Um fuso pode ser feito de madeira, metal, pedra, plástico e se você sair procurando aí pela internet vai encontrar gente que improvisou o seu com lápis e cds.

Hoje em dia, pouco vemos gente fiando por aí ou até mesmo que reconheça um fuso, mas no passado era ocupação de famílias inteiras: no fim do inverno, recolhia-se a lã dos animais, que era lavada e cardada. E pelo resto do ano, essa fibra toda deveria ser fiada para virar roupas, cobertores e demais tecidos necessários para a sobrevivência da família na próxima estação gelada.

Não era moleza, não. Fiar quilos e quilos de fibra a mão era trabalho para meses sem fim. E para facilitar o serviço que não acabava nunca, alguém inventou, por volta do século XI a roca, que agilizou muito a produção.

Com a Revolução Industrial, os fusos e rocas foram aposentados. As máquinas passaram a se ocupar do trabalho enfadonho, cansativo e longo e o que antes eram objetos presentes em todas as casas, ninguém mais lembrava que existiram. Só com a recente onda de revalorização dos trabalhos manuais é que eles estão voltando a ter espaço, tanto quanto outras manualidades como o tricô e o crochê. E como tudo que não é um dever, uma obrigação, virou hobby e até meio de vida de muitas artesãs. Afinal, é um contentamento fiar o próprio fio que se vai utilizar para fazer uma peça.

Você também pode ter o seu fuso e aprender a fiar.

Em nossa loja virtual, você encontra dois tipos de fuso: top whorl, usado para fiar fios mais finos,  e bottom whorl, para fios mais grossos.

.

>> Interessada em comprar fibra? Conheça nossas cores.

Bottom whorl e top whorl.

Print Friendly, PDF & Email

4 comentários

Jane Rotta · 9 de maio de 2013 às 11:58

Parabéns pela iniciativa! Muito legal vocês estarem encorajando essa atividade manual! Vou compartilhar em meu blog. Esperam que vendam muitos fusos.

Graça reis · 27 de dezembro de 2014 às 20:36

Boa noite! Meu nome é Graca Reis nasci em ponte nova, Minas Gerais, minha vovó tecia usava o fuso, descarossava o algodão, batia (cardava) fazia a linha e tecia peças lindas de crochê, aprendi a fazer crochê, mas a usar o fuso não, mudei muito cedo de lá e tive que trabalhar aos 14 anos, mas nunca esqueci essa arte maravilhosa de tecer, minha querida vovó me deixou a muitos anos eu hoje tenho 66 anos mais todos os tipos de arte!e parabenizo e agradeço a Deus a arte em nossas vivas! Arte faz parte da vida! Que bom que vocês existem! Ainda tenho vontade de aprender a usar fuso, foi a meu primeiro encontro com a arte!Feliz 2015 e muita luz e sucesso em suas vidas!!!

Walquiria · 13 de julho de 2016 às 11:35

Nussa, que coisa mais linda do mundo! Cheguei aqui por causa do blog da Jane Rotta, porque eu adoro essas coisas, embora não saiba tricotar nem nada. Mas, reconheço como é um mundo maravilhoso esse!! Beijo enorme pra vocês!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat